O Pólo Icónico

O inventor do pólo

O primeiro pólo de algodão foi inventado por René Lacoste em 1933. Leve e fresco mas resiliente, foi elaborado num tecido inovador, o jersey petit piqué. O segredo da sua criação era uma técnica de tecelagem revolucionária.

Tradição

A história

A história do pólo original

inovar significa correr riscos

René Lacoste, um inovador destemido

Como dar maior liberdade de movimentos aos tenistas? René Lacoste encontrou a inspiração perfeita ao examinar cuidadosamente o vestuário desportivo de um exímio jogador de pólo de nome Lorde Cholmondeley. Criou então uma camisola revolucionária com uma gola abotoável e mangas curtas. Os tenistas dessa época estavam habituados a ter de enrolar as mangas das suas pesadas camisolas para maior conforto, mas a invenção de René Lacoste veio proporcionar-lhes liberdade total de movimentos.

Tradição

L.12.12

L de Lacoste, 1 por ser completamente único, 2 era o código de fábrica para mangas curtas, 12 do protótipo selecionado.

O Pólo Original

René Lacoste aliou-se ao perito em tecidos flexíveis André Gillier para aperfeiçoar o design dos seus primeiros pólos. Juntos criaram o famoso algodão piqué - leve mas robusto e respirável para frescura sem perda de elegância. Como perfecionista que era, René Lacoste testou ele próprio a primeira série de pólos, em busca de detalhes que pudessem aprimorar o design. Em 1933 o pólo Lacoste estava pronto e decorado com o distintivo crocodilo.

Nome de Código

L de Lacoste,
1 por ser completamente único
2 era o código de fábrica para mangas curtas
12 do protótipo selecionado por René Lacoste

Elegância Intemporal

René Lacoste distanciou-se dos códigos tradicionais de vestuário do ténis. Sem romper com as regras de etiqueta vigentes, introduziu uma nova moda masculina prática e elegante. Este é o conceito por detrás dos seus pólos. São tão elegantes quanto confortáveis e práticos. Na Lacoste, requinte e prazer de utilização são dois conceitos compatíveis.

Tradição

Galeria Pólo

Viaje no tempo e descubra como o nosso pólo tem vindo a ser revisitado e reinventado ao longo dos anos para se manter atual.

O pólo ao longo dos anos.

Elegante mas confortável, o pólo inventado por René Lacoste tem sido constantemente atualizado e até redesenhado pelos mais famosos designers mundiais, de modo a manter-se a par da atualidade e brincar um pouco com o ícone. Sem nunca perder a sua originalidade e identidade totalmente únicas.

Os nossos primeiros pólos

Os pólos originais com elementos icónicos de marca.

Os nossos pólos de colecionador

O pólo reinterpretado pelos mais famosos designers mundiais.

Os nossos pólos gráficos

O pólo e sua variedade de designs gráficos.

Savoir Faire

O making of

O pólo Lacoste tem sido confecionado e acabado à mão em Troyes, capital francesa do têxtil, desde 1933, preservando o savoir-faire único da marca.

3 passos

O pólo lacoste é confecionado em três passos que aliam testes rigorosos ao savoir-faire tradicional para produzir a camisola perfeita.

Primeiro passo

Tecelagem

O pólo é feito das melhores fibras de algodão disponíveis tecidas no nosso piqué único, proporcionando flexibilidade, resistência e suavidade.

Os materiais

A fibra de algodão usada para confecionar o pólo Lacoste é uma das fibras mais flexíveis e resistentes conhecidas. Cada lote é testado para garantir que corresponde aos mais elevados standards de qualidade. Só o melhor algodão pode produzir o leve, robusto e respirável tecido petit piqué.

Ler mais acerca do Petit Piqué

O processo

Para produzir cada pólo é usado um mesmo lote de algodão. O algodão é seguidamente cuidadosamente tecido em vários teares diferentes.

São necessárias 2 a 3 horas para preparar cada tear.

Segundo passo

Tingimento

Em 1951 a primeira gama de cores do pólo de algodão Lacoste incutiu um novo e vibrante otimismo a esta peça icónica a combinar com o seu estilo elegante e descontraído. Atualmente o pólo Lacoste está disponível em mais de 40 tonalidades.

A tonalidade exata

As tintas são misturadas durante nove horas para criar uma paleta cromática rica. A quantidade de tinta utilizada difere entre cores. As cores mais escuras requerem mais tinta e as cores mais claras menos. Esta diferença justifica a ligeira alteração na textura verificada entre pólos claros e pólos escuros.

40 cores

Após o tingimento, o tecido é exposto durante 2.000 horas a forte luz solar.

Terceiro passo

Perícia

Cada pólo é manufaturado por 27 pessoas. Este cuidado nos pormenores é parte essencial do savoir-faire da marca e sua contínua busca da excelência.

O crocodilo

O icónico logótipo do crocodilo, usado originalmente por René Lacoste no seu blazer, é cuidadosamente bordado à mão em cada pólo.

São necessários 1.400 pontos bordados
para cada crocodilo de 22 mm

Elegância é... criar simplicidade... e garantir que os detalhes permanecem discretos.
René Lacoste

As golas

O canelado da gola é um elemento-chave do icónico pólo Lacoste. Este toque francês é confecionado com grande atenção ao detalhe: cada gola é verificada manualmente e os fios soltos são removidos à mão com recurso a uma agulha especial.

O botão em madrepérola

Cada botão é colocado manualmente na máquina de coser para garantir que é preso do lado correto. Este cuidado nos pormenores é intrínseco à confeção do pólo Lacoste.

Petit piqué

O making of

O Petit piqué é um têxtil especial de algodão inventado por René Lacoste para o pólo. Composto por uma rede finamente tecida, o petit piqué combina conforto e elegância.

No court

O Petit Piqué revolucionou o vestuário do ténis. O novo têxtil permitiu liberdade de movimentos e comodidade no jogo.

Ler mais acerca das origens do pólo

Petit piqué

No court

O Petit Piqué revolucionou o vestuário do ténis. O novo têxtil permitiu liberdade de movimentos e comodidade no jogo.

São necessários 20 km de fio para confecionar um pólo L.12.12 tamanho 4

Comprimento do fio

O petit piqué usa fios de algodão mais compridos que os tecidos comuns. Estes dão origem a um material estável e resistente, embora leve e arejado.

Costura com dois fios

O mesmo lote de algodão é utilizado para produzir cada pólo. O algodão é seguidamente tecido em vários teares diferentes.

Petit piqué

A malha

O petit piqué de algodão é leve, resistente e elegante. O segredo deste têxtil único reside numa técnica de tecelagem e tricotagem inovadora, desenvolvida e aperfeiçoada por René Lacoste e André Gillier.

O processo

Os fios de algodão são firmemente tecidos para criar milhares de pequenas células que permitem a passagem do ar. Esta técnica especial faz do petit piqué um tecido altamente respirável.

A rede

As células da malha de algodão possuem um formato distintivo em v. Juntas criam o aspeto de rede próprio do petit piqué e dão ao pólo Lacoste a sua textura exclusiva.

Por ano são usadas 180.000 agulhas para produzir o Petit Piqué de algodão.

Petit piqué

A sensação

O pólo Lacoste harmoniza a leveza, durabilidade e flexibilidade do Petit Piqué de algodão a linhas simples e elegantes que libertam os movimentos.

Autoconfiança em movimento

Vestir um pólo proporciona uma sensação de conforto e elegância combinada com comodidade de movimentos.

Estilos diferentes

O pólo está disponível em diversos estilos e fits, mas todos partilham um ponto comum: uma sensação de leveza.

Ler mais acerca dos fits pólo